UMA VEZ MORTO

Uma vez morto, a morte consiste em dois momentos:
o primeiro é o permanecer morto.
Essa é a fase imediata e cômoda. Como morrer é inevitável, ficar morto inclusive nos dá a sensação de domínio da situação.
Achamos que enfim descansaremos em paz.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
RIP.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Achamos errado.
A morte é amarga, vem a contragosto, nos deixa rancorosos e pessimistas, mas também nos faz saudosos.
Então o segundo momento é se desenterrar.
De propósito ou não, esquecemos frequentemente dessa fase da vida. Digo, da morte.
Morrer e permanecer morto talvez seja mais fácil do que se desenterrar.
O processo de desterro é lento. Cavar a própria cova e retirar-se dela é trabalhoso, a pá é pesada e nossa energia parece escorrer pelas têmporas, junto ao suor.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Depois de uma morte dolorosa, o quão melhor seria permanecer com os vermes? ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Mas não conseguimos.
A terra sufoca.
Cedo ou tarde, saímos da sepultura.
“A pesar” do sentimento, estamos sentenciados à vida.
Estamos condenados: à vida e à morte.

Criado por Jonas Maria  © 2021